quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Tempo e inspiração...


A chuva
E o frio
E a alma.

A chuva que traz o frio,
O frio que arrepia a alma...

A alma que faz a saudade chegar...
Chegar e fazer sofrer,
Fazer lembrar...

Lembrar nem se sabe de quê...
Só se sabe que é bom...
E que faz falta...

A chuva que lembra o frio,
Que arrebata a alma...
E traz pro peito a vontade,
De jamais vê-la parar...

E a chuva que anima,
Que traz à tona os instintos...
Que fascina
E sacia os famintos...

A chuva que me fez, agora,
Escrever...
A chuva que mandou a tristeza embora...
E me fez, mais um pouco, crescer...
.
.
.
(Um oferecimento especial a Ariane Martins Arderucio, pela contribuição na inspiração... [Amull-lhe]...)

domingo, 22 de novembro de 2009

Uma crônica...

Verso apaixonante

Eu passava tranquilamente pala rua. Era cedo e o comércio abria suas portas. O movimento não era tão grande. Estava perdida em meus pensamentos, que se misturavam, como se pedisse atenção, todos ao mesmo tempo. Nem sequer percebia quem passava por mim: era um oi apagado aqui, um bom dia dali, um sorrisinho de cá... Realmente estava longe e parecia que nada poderia atrair-me a atenção.
Somente parecia, pois existia algo capaz, que foi exatamente o que me atraiu: a música.
Foi como um raio que corta o céu: de repente, assim, do nada, ouvi um verso, um único verso, de uma música há muito por mim admirada: “Eu quero te roubar pra mim, eu que não sei pedir nada...” e foi exatamente o que ele fez: me roubou completamente.
Naquele momento, me senti imensamente feliz e apaixonada. Apaixonada pela música! Não só por aquela, mas por muitas. Meu pensamento se voltou completamente e comecei a cantar silenciosamente no íntimo do meu coração. E todo o meu sentimento começou a transbordar em minha alma, todo em forma de música.
E aquilo era paixão. Eu sabia, eu sentia. Aquele simples verso (que ousadia chamá-lo simples) transformou-me completamente. Lembrei-me da infância com suas canções, das primeiras vozes que gostei de ouvir... Tudo me veio a cabeça e me senti leve, parecia flutuar.
Tinha certeza: nada mais poderia ser, senão paixão. Paixão pela letra, pela voz, pelo som... Paixão por mim na música e, principalmente, pela música em mim.
Aquele foi um momento mágico, único. E tive o luxo de tê-lo somente para mim. De guardá-lo na memória e, agora, nessas linhas. Sei que ele será eterno, pela descrição, tão perfeita, de Drummond: “Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade que em mim se petrifica...”



Fiz há alguns meses e ela quer dizer muito pra mim...

sábado, 21 de novembro de 2009

Doutores...


Doutores da alegria...

Muita gente nem tem ideia do que se trata...

Pois é...

São "besteirologistas": palhaços que atuam em hospitais,

e fazem a felicidade de muitas crianças...


Fazem um trabalho realmente impressionante

e, nem por isso, são devidamente reconhecidos.


Eles sim, são verdadeiros artistas,

pois vivem nos bastidores.

Bastidores de hospitais,

onde encontram diversos tipos de mazelas humanas.


Estes sim são artistas,

pois vão ao encontro do público mais difícil.

E fazem isso, pois têm uma missão:

levar a verdadeira alegria e o sorriso sincero,

aos corações de tantas crianças que,

desde muito cedo, sofrem.


Seu trabalho é admirável.

E nos chama a atenção,

em relação à nossa própria vida.

Será que nós fazemos algo pelo nosso próximo?

Será que doamos alegrias?

Será que provocamos sorrisos?

Será qu somos capazes de "procurar no próprio vazio,

uma esperança pra doar"?


É realmente difícil fazer rir.

Ainda mais em um sufocante ambiente hospitalar.

Mas eles conseguem isso e muito mais...


São realmente dignos de muitos aplausos!!!


VIVA OS DOUTORES DA ALEGRIA!!!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Você sabe o que é?

Você sabe o que é
ter em quem confiar?
Conhecer um ombro amigo,
onde se possa chorar?

Você sabe o que é
conhecer alguém(ns) especial(is)?
E fazer dessa(s) pessoa(s),
uma questão vital?

Você sabe o que é
poder no espelho se olhar?
E ver no próprio rosto
o sorriso de quem sabe acreditar?

Você sabe o que é
olhar pro lado e amar?
Ter pessoas maravilhosas,
que contigo possam vivenciar?

Ah, você sabe o que é
sair na chuva só pra se molhar?
Voltar a ser criança
e da inocência desfrutar?

Você sabe o que é
correr e poder alcançar?
Aquele sonho antigo,
que tanto já te fez chorar?

Ah, mas você sabe o que é
fazer alguém gargalhar?
Encontrar no próprio vazio,
uma esperança pra doar?

Você sabe o que é
viver, acreditar?
Sem nenhuma testemunha,
apenas poder sonhar?

Você sabe o que é
sentar aqui pra escrever?
E demonstrar-me no papel,
esperando que alguém goste de ler?

Ah, você sabe...
Porque respostas precisam de perguntas
e perguntas, de pessoas.
E porque és gente,
como eu e mais milhões.
E tens, também, uma mente,
que mergulha em emoções...

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Ah, a amizade...


A amizade é o mais sincero sentimento...

O mais desinteressado,

O mais sublime,

O mais difícil de se manter...


A amizade

É dom divino,

É entrega,

É confiança,

É auxílio...


Amizade...

Desde quando a conhecemos?

Quem nos ensinou a "amizadear"?

Mistério...


Acho que a amizade NASCE...

Nasce e brota entre duas pessoas, assim, de repente,

Sem pedir licença,

E encontra seu espaço em dois (ou mais)

Corações...


E, aos poucos, cresce mais e mais...

Vai tomando espaço e fazendo esses corações felizes...


É por isso que a amizade deve ser cultivada...

Ela deve, sempre, ter o seu espaço,

Em todos os corações...


Todos devemos ter ao menos um amigo do peito,

Daqueles com os quais sempre se pode contar...


E muitos outros amigos de momentos:

Amigos de festa,

Amigos de açaí.

Amigos da fanília,

Amigos por aí...

Amigos pra chorar,

E pra fazer sorrir!


Amigos, amigos, amigos...

Daria pra viver sem?





Uma homenagem a todos os meus amigos e amigas, que fazem cada momento se tornar mais especial... (seja pessoalmente, ou pelo msn! kkkkkkk)

Saibam que sem vocês, eu nada seria!!!


Amo muito vocês!!!