quinta-feira, 27 de maio de 2010

Conversa




Bom, quando recebo um presente, além de agradecer, tenho algumas outras tarefazinhas:

1) pegar o selo,

2) responder a pergunta (O que é mágico para você?)

3) repassar para 10 blogs,

4) indicar de onde pegou o selo,

5)ilustrar com uma imagem.

Cumprindo...

2) Mágico pra mim é olhar e sorriso de criança, é arco-íris depois da chuva, é chuva depois do sol. Mágico pra mim é o Pequeno Príncipe, é tocar violão, é escrever um poema. Mágico pra mim é conhecer pessoas, é admirar paisagens, é imaginar!


3) Meus amiguinhos escolhidos para presentear:

~> Versos de cor (Fouad Talal) = http://versosdecor.blogspot.com/

~> Encantaventos (Wania) = http://encantaventos.blogspot.com/

~> Acontagotas (contagotas) = http://con-ta-go-tas.blogspot.com/


~> Doce de lira (Renata) = http://docedelira.blogspot.com/

~> Céu aberto (Walkyria) = http://walkyria-suleiman.blogspot.com/


~> Amar-te-i até ao tédio (Lia) = http://diariosdeumadesconhecida.blogspot.com/

~> Lunetta poesias (Lunetta) = http://wwwluneta-poesias.blogspot.com/

~> Eucaliptos na janela (Solange) = http://eucaliptosnajanela.blogspot.com/


4) Meu selinho querido veio da Bia Carvalho, do blog http://sobremusicaseflores.blogspot.com/


5)

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Desejos de uma noite de inverno

Revestida da alma poética, surge em mim uma vontade de compartilhar.
Emoções só são válidas quando compartilhadas e vivenciadas (independentemente de ‘por quem’).
Antes mesmo de iniciar discursos, penso em ser breve, em não cometer exageros, em não ofender, em não usar. Penso em um início, em um meio e num possível fim.
Penso em como será a reação, penso em como me sentirei depois.
Penso em tanto e é incrível como não uso nada.
Chega a surpreender o modo como as palavras me usam com tanta facilidade. Elas tomam-me pra si, elas manifestam-se, independentes de qualquer planejamento antecipado, de qualquer plano, de qualquer meta.
Elas vão, simplesmente vão.
Escapam-me, encontram-se, formam-se.
Muitas vezes, nem parece real.
Acho interessante a beleza breve das pausas e reticências...
Quero um mundo novo, que saia do papel, ganhe vida, corpo, mente e alma.
Quero uma realidade nova, que ultrapasse o que quer que seja, pra alcançar a infindável felicidade de quem nunca se põe.
Quero um Sol que não seja eterno, mas traga consigo a sutileza da possibilidade de não mais voltar.
Quero luar que nem sempre derrame prata, que nem sempre encharque o ar de poesia amargurada, sofrida e perfeitamente inundada de amor.
Quero uma natureza menos perfeita, uma realidade menos comunicativa. Quero coisas mais difíceis, mais feias.
Quero que o homem dê o valor devido ao que é seu (e ao que já foi e ao que ainda será).
Quero a beleza das poças d’água, que refletem não com perfeição, mas com movimento.
Quero vidas que se cruzem menos, quero caminhos pelos quais seja mais fácil perder-se.
Quero complicação, quero bagunça, quero sonho e quero VIDA!
Quero avidamente que tudo se transforme pra pior.
Quem sabe assim, o homem transforme seu fim [em um novo começo]...


{Jéssyca Carvalho (J. Cândida)}

Primeiro passo


quarta-feira, 19 de maio de 2010

Cores


domingo, 16 de maio de 2010

O que fazer?


sábado, 15 de maio de 2010

Realmente ver


quinta-feira, 13 de maio de 2010

Fora do ar


segunda-feira, 10 de maio de 2010

Ilusão



(um Mito da Caverna meio ao contrário...)

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Construção


quinta-feira, 6 de maio de 2010

Janelas mestras


quarta-feira, 5 de maio de 2010

Uma pausa


terça-feira, 4 de maio de 2010

Um pedacinho apenas?


segunda-feira, 3 de maio de 2010

As flores


domingo, 2 de maio de 2010

O apelo


sábado, 1 de maio de 2010

Arte