segunda-feira, 25 de abril de 2011

Plantio

Memórias felizes

quarta-feira, 30 de março de 2011

Sobre as circunstâncias da vida

segunda-feira, 28 de março de 2011

Receita


                                Quero um pouquinho de aurora,
um cheirinho de agora
e uma garrafa.

Misturando as poções,
tão mágicas quanto o crepúsculo da terra natal,
encontro previsões de um futuro melhor.

Na garrafa, aprisiono tudo,
pra usar numa tarde qualquer,
quando quiser, realmente, lembrar
o que é felicidade.

Estrelas cotidianas


Sou estrela.
Estrela cadente, realizando sonhos mil.
Estrela do rádio, eternizada em vinil.

Sou estrela.
Estrela que "vira" a criança.
Estrela, no céu, é sinal de esperança.

Sou estrela.
Estrela que faz luz.
Estrela-guia ainda conduz.

Sou estrela.
Olhe! Também és...

domingo, 27 de março de 2011

O valor do efêmero

sábado, 26 de março de 2011

Surpreendente vida

sexta-feira, 25 de março de 2011

Que o mar possa transformar...

Essa coisa de crescer...

Acerca da poesia

Sinto esvair-se de mim, por todos os vãos, a poesia que está contida. Entristeço-me.

Paro, por um instante, pra sentir a sensação.

Percebo, então, que é justo.
A poesia usa-me apenas como meio.
Faz-se, sai, e deixa-me, vazia novamente.
Mas diferente.
Afinal, com ela, um pouco mais aprendi...

E é bom!
É bom estar assim, cheia de vazio.
Vazio de palavras...

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Fantasia (?)


E a "fantasia" fora se tornando parte. Parte integrante do todo que ele era. Ela já fazia parte dele e ele, dela. Um par perfeito.
Agora ele tinha a consciência plena de que realmente não havia nascido em vão. Ele encontrara sua razão de viver.
O sonho infantil tornara-se o sonho de outras crianças. Um ciclo dotado de uma beleza própria e natural.
Ele agora era o exemplo, o verdadeiro distribuidor de sorrisos. E como isso era bom!
Fazia-o esquecer do passado e de todas as tantas dores que vivera.
Realmente - ele descobrira - o "querer a felicidade do outro", planta em nós um grão de humanidade, que germina e se torna felicidade!

E que cresça!

domingo, 23 de janeiro de 2011

Obstáculos

Caminhando


Caminhando cada vez mais pra dentro de si mesma, ela não tinha outra saída senão continuar. "Em frente, sempre!" Essa sempre fora sua meta e ela não costumava abandonar metas pelo caminho...
E seguia...
Rumo ao desconhecido que era a si mesma.
O que será que encontraria no fim? Será que haveria mesmo um fim? Qual era o tamanho de sua própria alma?
São só questionamentos, são só vontades.
E ela segue, com muita vontade de responder àquilo tudo.
Será que vai ser possível?

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Segredo

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

O agora

sábado, 1 de janeiro de 2011

Para 2011